Linha de apoio para que possa obter esclarecimentos sobre a forma de promover o sucesso escolar, as relações interpessoais, os comportamentos saudáveis e o bem-estar das crianças.

Envie a sua questão
PESQUISAR
 
TEMAS

"não!"

2 anos

acordar a meio da noite

actividades

adolescência

agressividade

almoçar na escola

anjinho

ansiedade

assertividade

autonomia

avós

birras

boçar

bondoso

brinca

brinquedos

bruxas

calendário

cansaço

castigos

causa

ciume

comida

competencias; criança; adaptada

comportamento

comportamento alimentar

compromisso

comunicação

contrariedades

crianças hiperactivas - parte 1/3

crianças hiperactivas - parte 2/3

crianças hiperactivas - parte 3/3

criatividade

cultura

delegação; competências; reforço; positi

depressão

desafiar os pais

desenvolvimento

diagnóstico

dificuldades cognitivas

dificuldades de aprendizagem

dinamica familiar

disciplina

dislexia

divorcio

divórcio

doenças

dores de cabeça

dormir

educação

emoção

ensino

escola

esfincter anal

estratégias

falar durante a noite

familia

fraldas

frustração

grelha; acompanhamento; relação

hiperactividade

horários

individuação

infantário

influencias

irmaos

irmãos

irmãos; relação; equipa; partilha

irritações

isolamento

limites

medos

modelos de educação

negociação

negociar

negociar com emoção

obesidade infantil

pais

palmadas

pensamento simbolico

permissividade

privacidade

quarto dos pais

refeições

regras

relação pais-filhos

respostas

separação

separação de pais

sexualidade

sono

sonolencia

sopa

tempo; pais; angustia; dedicação

tolerância

tv

vómito

xi-xi

todas as tags

ARTIGOS
Educação
ARQUIVOS

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Terça-feira, 27 de Janeiro de 2009
Quando vou para a escola dos "crescidos"?

É normal que a altura do ano em que os pais têm de decidir qual a escola para os seus filhos seja uma altura de angústias e ansiedades. Joga-se aqui o futuro ou pelo menos vamos influencia-lo muito.

Neste processo, existem algumas questões que temos de ter presentes:

1. Não existem escolas perfeitas e que agradem a todos.
2. Não podemos transferir para as crianças as nossas ansiedades e medos.
3. Vamos escolher o melhor possível, garantindo conforto para todos.

Devemos lembrar-nos que se estamos a escolher a escola para os nossos filhos eles devem estar envolvidos no processo, e uma parte da lista de pontos a considerar na escolha deve ser contributo deles.

Transforme esta pesquisa numa actividade de família, encontre a melhor das escolas lembrando-se que a está a escolher o local que vai preparar o seu filho para aprendizagens futuras. A escola deve promover a curiosidade e a procura de respostas.

É bom ter uma escola com um modelo educativo desafiante, mas quando a encontrar não transfira para ela a sua responsabilidade. Faça o contrário. Envolva-se, encontre a forma de participar.

A Equipa Let’s Grow.

 


TEMAS:

Publicado por consultoriodeeducacao às 00:21
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Dar tempo à cultura
É fundamental abrir horizontes aos nossos filhos

Nunca como hoje a cultura esteve tão acessível a todos. É um facto que os bilhetes dos espectáculos têm preços proibitivos, principalmente em alturas de crise, mas existem excelentes opções grátis. Basta procurar com atenção.

Caros pais, é fundamental abrir horizontes aos nossos filhos e, para que isso aconteça, temos de lhes mostrar o mundo e a diversidade das suas representações.

Vamos, sem fazer juízo de valor, variar os estilos de música que os nossos filhos ouvem. Na Internet, podemos encontrar inúmeros espectáculos musicais gravados e acessíveis a todos, sendo alguns deles grandes produções de excepcional qualidade. Vamos ouvir e ver com eles, partilhando opiniões.

Sugerimos também uma visita, virtual ou não, a um museu. Esta visita pode ser seguida de uma tarde passada no jardim mais próximo de casa, com um bloco e lápis para fazer alguns desenhos. Os pais devem perder a vergonha e participar na criação.

Escolham um texto de mote e criem depois uma fantasia a propósito ou uma recolha de informação que possa complementar a informação do texto.

Mas mais uma vez, o que é realmente importante é que esta aprendizagem seja partilhada. Devemos colaborar participando com os nossos filhos nestas actividades exploratórias.

O acesso à diversidade vai dar às nossas crianças a capacidade de terem um maior número de soluções disponíveis para os desafios que lhes são colocados, e com toda a certeza darão respostas bem adaptadas.

A Equipa Let’s Grow.


TEMAS:

Publicado por consultoriodeeducacao às 00:20
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Quarta-feira, 7 de Janeiro de 2009
"Começou a fazer grandes birras"

Boa tarde!

 

 
Chamo-me Joana, tenho 25 anos e um namorado de 38. Trabalho há 5 anos com crianças e mudei-me há cerca de 2 meses para casa do meu namorado. Ele tem uma filha de 5 anos com quem tenho uma óptima relação e desde sempre aceitou lindamente a minha relação com o pai. Foi, inclusive, ela que pediu para eu ir viver com eles. A pequenina está 15 deias seguidos em casa do Pai e 15 dias em casa da Mãe. Antes da minha mudança, detectamos que ela não queria voltar para casa da mãe ao fim dos 15 dias passados com o pai. Achámos que isto se devia à forte ligação emocional que tem com o Pai e à certeza que comigo e com ela se divertia mais do que com a Mãe.
 
No entanto, um mês após a minha mudança, ela começou a fazer grandes birras por querer dormir na cama conosco, a não querer comer as refeições por completo e mais recentemente a queixar-se diariamente de dores de barriga sempre que chegava a hora de almoçar na escola. Falámos com a educadora e percebemos que ela está bem durante todo o dia, mas mal entra no refeitório, chora, dizendo que lhe doi a barriga, não querendo comer e por vezes chegando a vomitar. Depois passa e fica bem.
 
Questiono-me muitas vezes se a espectacular aceitação que ela teve em relação a mim não esconderá qualquer outro sentimento de ciume, frustração ou incompreensão. Falamos muito com ela, explicando-lhe como "funcionam os namorados" e tento criar com ela uma relação aberta mas carrgada de cumplicidade. Quero tentar impor-lhe regras em relação ao dormir na cama dela (inclusive comprei um despertador que todos os dias anuncia a hora em que ela pode ir um pouco para o pé de nós) mas não quero pressioná-la demasiado.
 
Gostaria que me dessem uma ajuda sobre a melhor forma de lidar com isto....
 
Muito obrigado,


Publicado por consultoriodeeducacao às 23:57
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos


Marque a sua consulta







Morada:
Av. António Augusto de Aguiar, 38 R/c Esq.
1050-016 Lisboa
Telefones: 93 933 55 88 / 91 659 88 38
email: info@letsgrow.pt
www.letsgrow.pt
http://consultoriodeeducacao.blogs.sapo.pt/

O QUE É … A LET’S GROW?

A Let’s Grow é um projecto português que nasceu em 2006 da necessidade sentida pelos Psicólogos Miguel Botelho de Barros (área Clínica) e Rui Nunes da Silva (área Social e das Organizações) de criar um programa de consultoria para a infância. Deste modo, a Let’s Grow integra na sua formação duas áreas distintas mas complementares que, ao cruzarem informação, permitiram melhorar significativamente a compreensão e a resposta face às lacunas sentidas nos projectos próprios da infância relativamente às competências sociais e emocionais.

A Let’s Grow é um conceito inovador e muito prático, que adapta as últimas descobertas da Psicologia Social e do Desenvolvimento Infantil às novas necessidades do séc. XXI. Através da aplicação de uma metodologia eficaz e rápida, È possível as crianças experimentarem e interiorizarem as ferramentas que promovem um desenvolvimento mais completo.

A nossa Missão

A missão da Let’s Grow é ser a Parceira das Crianças, suas Famílias e Escolas, de modo a que todos consigam gerir de forma eficaz os processos de crescimento e de mudanças, através do desenvolvimento e optimização das suas competências emocionais e sociais.
blogs SAPO
RSS